Praia de Iracema: Memória, Presente e Futuro

LOCAL Fortaleza, Ceará

ANO 2019

PREMIAÇÃO 2º Lugar

CATEGORIA Concurso / Mobiliário e Urbanismo

EQUIPE Ademir Oliveira,  Carlos Bruno Oliveira, Daniel Benevides, Juliana De Boni, Leonardo Ferreira, Mário Soares e Yuka Ogawa.

Essa é a nossa proposta que ganhou o 2º lugar no I Concurso de Mobiliário Urbano - Vamos Pela Sombra, lançado pelo Instituto Iracema! Pra nós é uma alegria enorme ter a chance de contribuir com o debate sobre os espaços públicos, ainda mais em um local que frequentamos e, como bons moradores e arquitetos, queremos sempre melhorá-lo. 

Nossa equipe escolheu a localidade da Praia de Iracema para realizar a proposta do mobiliário urbano. A proposta de intervenção girou em torno da memória que esse lugar guarda e sua vocação natural como um espaço de lazer para todos os tipos de públicos.

Com um orçamento restrito e a intenção de gerar uma estrutura pudesse se replicar e gerar novas interações, a materialidade do projeto buscou entrar em uma linguagem simples e que estabelecesse relação com o lugar. Rugosas e de forma mais orgânicas, as pedras seriam retiradas da própria Praia de Iracema, que possui um enrocamento para evitar o avanço do mar onde muitas destas estão sem uso e em abundância. A corda, material que remete à pesca, atividade que durante um tempo sustentou os primeiros moradores da região, foi utilizada para gerar as sombras. Por fim, a madeira e o aço são as bases da estrutura propostas, gerando junto com os anteriores, uma linguagem simples e criativa. 

Como inspiração, tivemos as obras dos anos 70 a 80 do artista cearense Sérvulo Esmeraldo, estas trabalhavam planos e geometrias sobrepostas, criando tridimensionalidade. Além disso, pensamos em uma intervenção que fosse extremamente vibrante e colorida, para despertar o lúdico e os olhares dos passantes.

Na nova paginação, junto as linhas que pretendem gerar uma quebra na longitudinalidade do extenso calçadão apontando novas visuais emoldurados pela estrutura proposta, também estão mapeados marcos históricos. Fazendo com que o passante  se divirta durante a caminhada e sinta curiosidade de saber o que aconteceu ali um dia. Nas marcações encontramos as pegadas do Bode Iô Iô, a jangada dos pescadores que saíram dali e foram até o Rio de Janeiro e também a marca de até onde o mar um dia bateu. 

No intuito de provocar uma caminhada agradável e sombrada, criamos estruturas que geram uma família de configurações e se espalham ao longo do calçadão, criando uma série de visuais marcantes, como as longarinas da Ponte Velha, o histórico Edifício São Pedro ou a famosa Praia dos Crush. A essas estruturas demos o nome de "oásis".

cena-render-geral.png
Cena mirante.png
materiais-utilizados.png

Materiais e Referências Utilizados

pedra

madeira

corda

metalon

cores

obras sérvulo esmeraldo

planta-baixa.png

Masterplan

isometrica-+-detalhes.png

Os Arranjos